.

30/04/2009

Eventos Espiritas na Alemanha

Próximos Eventos espiritas aqui na Alemanha:

Bonn – O Allan Kardec Studien und Arbeitsgruppe está organizando uma Jornada Espiritual com Divaldo Franco, na qual será tratado o tema “O Livre Arbítrio, até aonde vai a nossa liberdade”. O evento ocorrerá nos dias 23 e 24 de maio de 2009, das 9h do sábado até as 17h do domingo, neste endereço: Andreas Hermes Akademie, In der Wehrhecke 1, 53125 Bonn – Röttgen. Inscrições e informações pelo e-mail info.divaldo@t-online.de (para inscrições em alemão) e info.divaldo@yahoo.de (para inscrições em português). O evento será em português, com tradução simultânea para o alemão.

Mannheim – A Federação Espírita Alemã organizará nos dias 27 e 28 de junho de 2009 o II Congresso Espírita na Alemanha, cujo tema central será “Somos seres imortais. Mais detalhes sobre o evento podem ser encontrados no site www.spiritismus-dsv.de/.

– No dia 7 de maio, das 18h30 às 20h30, Divaldo Franco falará nesta cidade sobre o tema “Depressão e Espiritismo”, no idioma português com tradução simultânea para o alemão. O endereço da palestra será Otztalerstrasse 1B – 81373, Munique. Mais informações no site www.geeak.de/.

Frankfurt - O Grupo Espírita Freundeskreis Allan Kardec Frankfurt e.V., situado em Frankfurt receberá Divaldo Franco no dia 8 de maio de 2009, às 19h, no Saalbau Gutleut, Rottweiler Straße 32 - D 60326 Frankfurt am Main. Mas informações através dos emails fak_frankfurt@hotmail.de / fak_frankfurt@yahoo.de.

Stuttgart - O Grupo SEELE convida para o Seminário sobre Mediunidade que será ministrado pelos trabalhadores da Seara espírita do Rio de Janeiro Ivone e Aloisio Ghiggino, no dia 02 de maio.

27/04/2009

CURSO DE MEDIUNIDADE

Grande dia o sábado passado! Sabem um desses dias em que podemos reunir, aprendizado, boa convivência, harmonia e confraternizacao? pois foi assim no nosso Curso de Mediunidade promovido pelo Spiritistischer Studienkreis Allan Kardec – Gruppe S.E.E.L.E. Stuttgart e.v., casa que sedia também atualmente a Presidencia da U.E.A - Uniao Espirita Alema. No final depois de expostos alguns temas super importantes, como o "perispirito, sua plasticidade e outras características", ouvimos e cantamos a belíssima oracao, transformada em música, na maravilhosa voz de Fagner.
Foi simplesmente demais!






Avalie a si mesmo

REFORMA ÍNTIMA
AVALIE A SI MESMO

Escreve: Elio Mollo
Colaborou no desenvolvimento ortográfico deste texto Maria Luiza Palhas

UMA OBSERVAÇÃO IMPORTANTE
O que é reformar? (literal)
É restituir ou restabelecer à organização primitiva.
O que é transformação? (literal)
É o ato ou efeito de transformar ou de ser transformado. É uma alteração, modificação ou uma mudança de uma forma em outra. Pode ser uma evolução ou mutação mais ou menos lenta de qualquer coisa.
O que é modificação? (literal)
É o ato ou efeito de transformar. É mudança no modo de ser de qualquer coisa. É transformação de uma coisa sem prejuízo da essência.
O que é alteração? (literal)
É o ato ou efeito de modificar o estado normal de alguma coisa. Pode ser também, o ato de decompor, ou degenerar alguma coisa.
Assim, adotamos a palavra transformação por achá-la mais adequada ao que se refere às mudanças comportamentais.

TRANSFORMAÇÃO ÍNTIMA
O QUE É TRANSFORMAÇÃO ÍNTIMA?

É um processo contínuo de auto-análise, de conhecimento de nossa intimidade espiritual, libertando-nos de nossas imperfeições e permitindo-nos atingir o domínio de nós mesmos.


O QUE PODEMOS FAZER PARA NOS TRANSFORMARMOS INTIMAMENTE?

Podem-se e devem-se substituir nossos defeitos como, por exemplo, o Egoísmo ou Personalismo, o Orgulho, a Inveja, o Ciúme, a Agressividade, a Maledicência e a Intolerância por virtudes, tais como Humildade, Caridade, Resignação, Sensatez, Generosidade, Afabilidade, Tolerância, Perdão, etc.

QUANTO TEMPO PODERÁ LEVAR PARA QUE TAIS MUDANÇAS OCORRAM?
O tempo não importa o que importa é o esforço contínuo que se faz para atingir a Transformação Íntima. (“Reconhece-se o verdadeiro Espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que emprega para domar as suas más inclinações”. Allan Kardec in O Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo XVII, Sede Perfeitos). Não se trata de esforço físico, mas de firme contenção de espírito, de um empenho que não sofra excessiva solução de continuidade. "Excessiva", porque, na verdade, também não podemos estar "continuamente" empenhados na transformação de nós mesmos.
Deve haver, isto sim, uma persistência de propósito, e a esta persistência chama esforço. Em outras palavras, não é bom sintoma abandonar uma atividade ou desviar a energia para um curso mais fácil de ação, ao primeiro sinal de dificuldade. A referência do esforço é nesse sentido: continuidade, persistência em face das dificuldades. Mesmo que no dia a dia dê a impressão de que não houve nenhuma mudança, não se deve desanimar nem abandonar o propósito da transformação. Por isso devemos dizer que este esforço é para a vida toda. Estudar o Evangelho de Jesus, ouvir sugestões de pessoas experientes, assistir conferências, ler artigos e livros referentes a este assunto nos levará a conhecer ainda mais, e assim nos auxiliar na identificação dos defeitos que nos afetam em cada situação da vida e aprender aos poucos a prática das virtudes que irão substituí-los.

COMO FAZER?
O Conhecer a si mesmo é o primeiro passo para a nossa Transformação Íntima, e Santo Agostinho em resposta à q. 919ª de O Livro dos Espíritos nos oferece uma excelente receita para isto:
“Quando estiverdes indecisos sobre o valor de uma de vossas ações, inquiri como a qualificaríeis, se praticada por outra pessoa. Se a censurais noutrem, não a podereis ter por legítima quando fordes o seu autor, pois que Deus não usa de duas medidas na aplicação de Sua justiça.
Procurai também saber o que dela pensam os vossos semelhantes e não desprezeis a opinião dos vossos inimigos, porquanto estes nenhum interesse têm em mascarar a verdade, e Deus muitas vezes os coloca ao vosso lado como um espelho, a fim de que sejais advertidos com mais franqueza do que o faria um amigo.
Perscrute, conseguintemente, a sua consciência, aquele que se sinta possuído do desejo sério de melhorar-se, a fim de extirpar de si os maus pendores, como do seu jardim arranca as ervas daninhas; dê balanço no seu dia moral para, a exemplo do comerciante, avaliar suas perdas e seus lucros e eu vos asseguro que a conta destes será mais avultada que a daquelas. Se puder dizer que foi bom o seu dia, poderá dormir em paz e aguardar sem receio o despertar na outra vida.
Formulai, pois, de vós para convosco, questões nítidas e precisas e não temais multiplicá-las. Justo é que se gastem alguns minutos para conquistar uma felicidade eterna
Não trabalhais todos os dias com o fito de juntar haveres que vos garantam repouso na velhice? Não constitui esse repouso o objeto de todos os vossos desejos, o fim que vos faz suportar fadigas e privações temporárias? Pois bem! Que é esse descanso de alguns dias, turbado sempre pelas enfermidades do corpo, em comparação com o que espera o homem de bem? Não valerá este outro a pena de alguns esforços? Sei haver muitos que dizem ser positivo o presente e incerto o futuro. Ora, esta exatamente a idéia que estamos encarregados de eliminar do vosso íntimo, visto desejarmos fazer que compreendais esse futuro, de modo a não restar nenhuma dúvida em vossa alma.”
Temos a tendência natural de sempre justificar nossos defeitos com racionalismos. São artimanhas e tramas inconscientes. Portanto, procuremos conhecer a fundo esses defeitos em todas as suas particularidades, e em como eles nos afetam, localizando as ocasiões em que estamos mais vulneráveis à sua manifestação. Procuremos então nos afastar desses procedimentos e buscar ferramentas adequadas para substituí-los em nosso comportamento.
Veja estas sugestões de Benjamin Franklin em sua Autobiografia, tais como escreveu e na ordem que lhes deu:

Temperança – Não coma até o embotamento; não beba até a exaltação.
Silêncio – Não fale sem proveito para os outros ou para si mesmo; evite a conversação fútil.
Ordem - Tenha um lugar para cada coisa; que cada parte do trabalho tenha seu tempo certo.
Resolução – Resolva executar aquilo que deve; execute sem falta o que resolve.
Frugalidade – Não faça despesa sem proveito para os outros ou para si mesmo; ou seja, nada desperdice
Diligência – Não perca tempo; esteja sempre ocupado em algo útil; dispense toda atividade desnecessária.
Sinceridade – Não use de artifícios enganosos; pense de maneira reta e justa, e, quando falar, fale de acordo.
Justiça – A ninguém prejudique por mau juízo, ou pela omissão de benefícios que são dever.
Moderação – Evite extremos; não nutra ressentimentos por injúrias recebidas tanto quanto julga que o merecem os injuriantes.
Asseio – Não tolere falta de asseio no corpo, no vestuário, ou na habitação.
Tranqüilidade – Não se perturbe por coisas triviais, acidentes comuns ou inevitáveis.
Castidade – Evite a prática sexual sem ser para a saúde ou procriação; nunca chegue ao abuso que o enfraqueça, nem prejudique a sua própria saúde, ou a paz de espírito ou reputação de outrem.
Humildade – Imite Jesus e Sócrates. .

A IMPORTÂNCIA DAS QUEDAS
Um ponto importante é que precisamos contar com as quedas, até que cresçamos espiritualmente, afinal somos como crianças aprendendo a andar, e são as quedas que fortalecem nossa vontade, e nos ensinam a ter persistência.
Somos aquilo que conseguimos realizar e não aquilo que prometemos. Através das quedas aprendemos mais sobre nós mesmos e podemos aperfeiçoar o modo de evitá-las. Mas se cairmos porque nos falta vontade de acertar estaremos no caminho descendente e, de queda em queda, nos enfraqueceremos.
A criança aprende a andar porque está determinada a fazê-lo. Então, não desanimemos nunca, levantemo-nos logo e sigamos em frente com tranqüilidade, sem nos martirizarmos, com conhecimento de causa, na firme determinação de não mais errarmos.

CONCLUSÃO
A cada minuto de nossa vida, antes de iniciar qualquer ação, façamos este exercício de nos perguntarmos sempre:


Isto que estou fazendo agora seria bem aceito por Deus ou pela minha consciência?
Se for, o procedimento é correto; se não for devemos descontinuar imediatamente o que iriamos fazer e não pensar mais nisso.
“Aquele que, todas as noites, evocasse todas as ações que praticara durante o dia e inquirisse de si mesmo o bem ou o mal que houvera feito, rogando a Deus e ao seu anjo de guarda que o esclarecessem, grande força adquiriria para se aperfeiçoar, porque, crede-me, Deus o assistiria.
Dirigi, pois, a vós, mesmos perguntas, interrogai-vos sobre o que tendes feito e com que objetivo procedestes em tal ou tal circunstância, sobre se fizestes alguma coisa que, feita por outrem, censuraríeis, sobre se obrastes alguma ação que não ousaríeis confessar. Perguntai ainda mais: Se aprouvesse a Deus chamar-me neste momento, teria que temer o olhar de alguém, ao entrar de novo no mundo dos Espíritos, onde nada pode ser ocultado?
Examinai o que pudestes ter obrado contra Deus, depois contra o vosso próximo e, finalmente, contra vós mesmos. As respostas vos darão, ou o descanso para a vossa consciência, ou a indicação de um mal que precise ser curado.” - (SANTO AGOSTINHO in O Livro dos Espíritos, q 919a)


A auto-análise permite que alinhemos as nossas ações e pensamentos na direção das correções que necessitamos realizar, para que ajustemos os nossos atos de acordo com os ensinamentos do Mestre, tanto com relação a Deus como em relação ao nosso próximo.
Através do esforço próprio e de exercícios repetidos em direção às boas causas, sedimentaremos em nós o próprio Bem.
Este processo é árduo, assim necessitaremos de muita coragem, perseverança e determinação para o realizarmos. Deus assiste e auxilia sempre, mas precisamos fazer a nossa parte se desejamos verdadeiramente melhorar.


Invistamos em nosso interior e procuremos melhorar nosso espírito eterno, transformando o que esta sociedade transitória estabeleceu como "normal" para nós. Lutemos o bom combate e não a luta mesquinha dos materialistas. A humanidade continuará ainda por muitos séculos como é agora, mas nós, que já estamos disposto às mudanças de atitude, que já sentimos o amor ensinado pela Doutrina Espírita, que já estamos conscientes da realização de nossa evolução espiritual, que já começamos a compreender as palavras de nosso grande Mestre (Jesus), podemos fazer a nossa pequena parte vivendo a solidariedade no mais alto grau que é a caridade e realizar a transformação no íntimo de cada um, fazendo a Alquimia moderna de transformar chumbo em ouro.
Referências:
O Livro dos Espíritos – Allan Kardec
O Evangelho Segundo o Espiritismo – Allan Kardec
Reforma íntima (artigo) - Paulo Antonio Ferreira - http://home.ism.com.br/~pauloaf/
Manual Prático do Espírita de Ney Prieto Peres, da Editora Pensamento.
Fundamentos da Reforma Íntima - Abel Glaser pelo Espírito Caibar Schutel, da Editora O Clarim.
Reforma Íntima (artigo) - João Batista Armani - http://www.espirito.org.br/portal/palestras/diversos/reforma-intima.html

24/04/2009

VAZIO EXISTENCIAL

É o vazio espiritual, é o vazio na vida. Quem somos? A que viemos? Para onde vamos? Todos desejamos intensamente encontrar um sentido para a vida e ficamos felizes quando constatamos que estamos a caminho dele, que vamos encontrar as respostas. Várias pesquisas comprovam que a falta de significado para a vida, a sensação de vazio e o desconhecimento da razão existencial são os mais angustiantes sentimentos do homem moderno. A maioria de nós é prisioneira da dimensão física; ainda somos conduzidos pelo aspecto psíquico-afetivo, mas, na dimensão do espírito, somos inteiros, completos, jamais vazios. Nós não apenas existimos, mas exercemos influência sobre nossas vidas. Ignorar a dimensão transcendental é reducionismo. A origem da sensação de mal-estar, de incômodo e de insatisfação está na falta de algo que desconhecemos e na crença de que a vida está desprovida de significado.
Em vez de permitir que alguém nos use e que vá além do razoável, magoando-nos de forma constante, estabeleçamos limites e aprendamos a legitimar nossa dignidade pessoal. É preciso desenvolver a arte de amar a si mesmo, para que se possa amar melhor os outros, pois, em se tratando do campo do sentimento, urge a necessidade de delimitar fronteiras e de jamais anular a própria identidade. Imolar-se em nome do amor, sendo massacrado emocionalmente por alguém simplesmente para manter um relacionamento destrutivo, é sinal de que se está amando a pessoa errada e de forma errada. Amar não significa sofrer.

Quando encaramos de forma tranqüila a sensação de fragilidade que nos invade de tempos em tempos, é porque nos conscientizamos de que ela faz parte da condição humana. Quando a admitimos em nossa constituição Íntima, não temos mais a pretensão de sermos invulneráveis e fortes em todas as circunstâncias da vida. Só aceitando nossa fragilidade é que encontraremos estabilidade interior. Encarar os pontos fracos não é se conformar com eles, mas mapeá-los e discernir a razão que os motivou. Alimentar a idéia de que somos super-homens é sustentar uma personalidade doentia. Nenhum ser humano é assim. Não precisamos nos mostrar "durões" e "formidáveis" o todo tempo. Isso é utopia.

HAMMED

19/04/2009

Terra Planeta Água

Guilherme Arantes, compositor e cantor desta música linda que fala da importância da água para nossa vida e para o Planeta Terra.



18/04/2009




O dia 18 de abril é dedicado ao Livro dos Espíritos, e o generoso amigo, que desde a codificação da Doutrina Espírita vem presenteando-nos com suas iluminadas páginas.

Homenagem ao Livro dos Espíritos

"Para viver em equilibrio você precisa de respostas"
Nossa homenagem ao LIVRO DOS ESPIRITOS - no dia de hoje!

Na manhã de 18 de abril de 1857, chega uma carruagem na Livraria Dentu na Galerie d'Orleans, no Palais-Royal, em Paris. Trazia 1.200 exemplares da primeira edição de O Livro dos Espíritos. Era o dia do lançamento da obra, composta num perfeito encadeamento de idéias, organizada metodicamente pelo professor Hippolyte Léon Denizard Rivail, que em virtude de seu nome ser muito conhecido e respeitado pela comunidade científica à época da publicação, optou pelo pseudônimo Allan Kardec para que esta fosse conhecida não em virtude do seu nome e, sim, pelo conteúdo.
A primeira edição trazia 501 perguntas e respostas. Em 18 de março de 1860 foi publicada a segunda edição, definitiva, revisada e ampliada, com 1.019 perguntas e respostas, trazendo ensinamentos que conduzem o homem à redescoberta de si mesmo, fornecendo-lhe recursos para que compreenda, sem mistérios, quem é, de onde veio, e para onde vai.
O Livro dos Espíritos contém os princípios fundamentais da Doutrina Espírita em seus três aspectos: científico, filosófico e religioso, tais como transmitidos pelos próprios espíritos, seus autores. Assim, não se considera a obra de um homem, Allan Kardec, mas da espiritualidade, cabendo a Kardec, o Codificador, a incumbência de classificar, selecionar e organizar os itens em uma seqüência lógica, com bom senso e espírito crítico.
O dia 18 de abril é dedicado ao livro espírita, e o generoso amigo, incansavelmente desde a codificação da Doutrina Espírita vem presenteando-nos com suas iluminadas páginas.

Impossível registrar todos os benefícios concedidos à humanidade pela literatura espírita que, indubitavelmente, atua em duas frentes: consolo e instrução.

17/04/2009

“Em todo instante, confio em Deus.
No que faço, penso em Deus.
Com quem vivo, amo a Deus.
Por onde sigo, sigo com Deus.
No que acontece, Deus faz o melhor.
Tudo o que tenho, é bênção de Deus.”

Emmanuel (Ação e Caminho – Chico Xavier)
Algumas frases célebres do nosso Sócrates:


Não penses mal dos que procedem mal; pensa somente que estão equivocados.
Sócrates

Transforme as pedras que você tropeça nas pedras de sua escada.
Sócrates

Só sei que nada sei, e o fato de saber isso, me coloca em vantagem sobre aqueles que acham que sabem alguma coisa.
Sócrates

O início da sabedoria é a admissão da própria ignorância. Todo o meu saber consistem em saber que nada sei.
Sócrates

Não devemos pautar nossas ações buscando aprovação dos insensatos, pois isto seria uma prova de nossa insensatez
Sócrates

Deixe quem desejaria mudar o mundo primeiro mudar a si mesmo. (Sócrates)

Eu não posso ensinar nada a ninguém, eu só posso fazê-lo pensar. (Sócrates)

Não penses mal dos que procedem mal; pensa somente que estão equivocados. (Sócrates)

Não sou nem ateniense, nem grego, mas sim um cidadão do mundo. (Sócrates)

Não te contentes em admirar as pessoas bondosas. Imite-as. (Sócrates)

Penso que não ter necessidade é coisa divina e ter as menores necessidades possível é o que mais se aproxima do divino. (Sócrates)

Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância. (Sócrates)

Se o desonesto soubesse a vantagem de ser honesto, ele seria honesto ao menos por desonestidade. (Sócrates)

Só quem entende a beleza do perdão, pode julgar seus semelhantes. (Sócrates)

Conhece-te a ti mesmo, torna-te consciente de tua ignorância e será sábio
Sócrates

16/04/2009

Ser Espírita

SER ESPIRITA
"Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformacao moral e pelos esforcos que emprega para domar as suas más inclinacoes"
Allan Kardec
Ser espirita é uma mudanca de atitude, é ter uma nova visao de vida mais abrangente; é compreender o semelhante na posicao em que ele se encontra nao exigindo mudancas radicais, nao fazendo cobrancas, e muito menos tentando impor a nossa ideologia. É ter uma postura calma, diante das turbulencias entendendo que Deus está no comando de tudo; é trabalhar a automia pessoal acreditando em si, tendo consciencia que temos o potencial Divino dentro de nós, buscando a felicidade possível, mesmo com todas as limitacoes do estágio evolutivo em que nos encontramos, buscando alegria nas pequenas coisas; somos espiritos aprendizes em busca da luz. É tirar as palavras bonitas dos lábios e pô-las nos atos, na prática; é agir com caridade com os ofensores, compreendendo que aquele que nos fere, é doente da Alma, que está momentaneamente equivocado e distante das licoes que Jesus nos ensinou, -agindo assim estamos praticando a caridade moral - álias- a mais difícil de se praticar; é procurar se melhorar a cada dia, pondo em prática a bondade e a humildade se esforcando para superar os vicios e defeitos, entretanto sem se martirizar, nao permitindo que as decepcoes, derrotas e problemas se encrustem na nossa Alma, e muito menos exigir do nosso próximo qualidades que nós mesmos ainda nao possuimos. É deixar o amor brotar do coracao, a cada gesto e a cada palavra. É ser calmo, manso e prudente…É procurar entender, de onde viemos, o que estamos fazendo aqui e para onde vamos. Entender que existe todo um mundo invisivel a nossa volta, que nos observa, que nos inspira, que nos intue, para o bem ou para o mal, vai depender das nossas afinidades.
E por fim, é compreender que fomos criados para a felicidade, para a luz e para brilhar!
Muita paz.
MP
O dom do azul
O azul é tônico, suavizante, confortador e refrescante. Inspira idéias de lealdade. Conforta. Reduz a irritação e as emoções violentas. Indicado para todos os que desejam mais sabedoria, pureza, amor e sinceridade.
(Prof. Hermógenes)

15/04/2009

Encontrei este artigo no site da Revista Crista de Espiritismo, achei super interessante:
A única coisa que realmente importa é você perceber, compreender que existe um estado de consciência “divino”, além de todo sofrimento


Por Victor Rebelo

A maioria das pessoas, quando dá seus primeiros passos na longa jornada do autoconhecimento e, consequentemente, da autocura, costuma dissociar o aprendizado espiritual do dia-a-dia. Claro que nossos primeiros passos aconteceram lá atrás, quando a consciência ou o princípio inteligente começou a se manifestar na matéria/energia, mas me refiro ao primeiros passos dados nesta nossa atual reencarnação.

Muitos passam o dia inteiro estressados, ansiosos ou cansados, com a mente dispersa, sem foco no “aqui e agora”. Chegam de noite no centro espírita, umbandista, ou seja lá o que for, na esperança de receberem o amparo divino, manifestado na boa vontade daqueles que lá estão para servir, seja encarnado ou desencarnado.

Mesmo neste momento tão especial, poucos são os que se mantêm presentes, de corpo e alma. Uns cochilam, outros assistem à palestra sem o menor interesse, outros, ainda, aguardam ansiosamente pelo passe energético ou a água magnetizada... e todos vão para seus lares na esperança de dias melhores! Mas eu pergunto: quando será um dia melhor? Amanhã? No futuro?

A grande diferença, entre um espírito “maduro” e outro não, é que, as pessoas mais conscientes, mais lúcidas, sabem que nosso aprendizado espiritual ocorre todos os dias, em todos os momentos. Toda hora é propícia para entendermos como somos, como reagimos diante das circunstâncias da vida.

Além disso, não podemos achar que somente na hora da palestra ou no momento do passe é que devemos abrir o coração, serenar a mente ou “pensar em Jesus”. Quem nunca ouviu dizer que “o Reino de Deus está dentro de nós”? Pois é, está mesmo, à nossa disposição – hoje – não amanhã, quando formos seres iluminados, anjos... Na verdade, isso tudo é secundário! Ser evoluído ou não, não faz a menor diferença, nem mesmo para Deus! A única coisa que realmente importa é você perceber, compreender que existe um estado de consciência “divino”, além de todo sofrimento, todo dissabor, toda frustração e ilusão, e basta acessarmos este estado de lucidez para sentirmos aquela tão sonhada paz interior. Jesus disse “Buscai o Reino de Deus e tudo mais virá por acréscimo”. Então... tá esperando o quê?

No começo não é fácil. Temos a crença enraizada de que só podemos estar bem quando tudo está “perfeito”. Aí é que está a raiz do problema.

Muitos dizem que os grandes pensadores espiritualistas eram contra as coisas mundanas, mas isso não é verdade. Buda, por exemplo, não condenava o desejo, pois quando não aceitamos nossos desejos, automaticamente criamos um conflito interno e perdemos a percepção dos planos mais elevados da realidade. O problema não está no desejo, mas no apego que temos aos nossos desejos. O apego, a necessidade em realizar um desejo é que causa sofrimento e não o desejo em si. Além disso, Buda sempre nos aconselhou a buscarmos o “caminho do meio”, ou seja, o do equilíbrio.

Orai e vigiai! Quando estamos focados no presente (seja meditando, orando ou fazendo qualquer atividade, como lavar a louça) nos tornamos mais conscientes dos nossos pensamentos, sentimentos e atitudes, assim como ficamos mais sensíveis à dor alheia. Nos tornamos mais capazes de amar sem nos envolvermos no desequilíbrio do outro. Aprendemos a respeitar a individualidade de cada um, pois passamos a respeitar o nosso próprio jeito de ser. Então, a harmonia envolve nosso corpo, nossa mente, nossa alma... num grande processo de cura, individual e coletiva. Saúde e Paz!



Editorial publicado na Revista Cristã de Espiritismo, edição 67.

08/04/2009



FELIZ PÁSCOA!!

07/04/2009

Visao Espírita da Páscoa

Visão Espírita da Páscoa
O Espiritismo não celebra a Páscoa, mas respeita as manifestações de religiosidade das diversas igrejas cristãs, e também não proíbe que seus adeptos manifestem sua religiosidade.
Páscoa, ou Passagem, simboliza a libertação do povo hebreu da escravidão sofrida durante séculos no Egito, mas no Cristianismo comemora a ressurreição do Cristo, que se deu na Páscoa judaica do ano 33 da nossa era, e celebra a continuidade da vida.
O Espiritismo, embora sendo uma Doutrina Cristã, entende de forma diferente alguns dos ensinamentos das Igrejas Cristãs. Na questão da ressurreição, para nós, espíritas, Jesus apareceu à Maria de Magdala e aos discípulos, com seu corpo espiritual, que chamamos de perispírito. Entendemos que não houve uma ressurreição corporal, física. Jesus de Nazaré não precisou derrogar as leis naturais do nosso mundo para firmar o seu conceito de missionário. A sua doutrina de amor e perdão é muito maior que qualquer milagre, até mesmo a ressurreição.
Isto não invalida a Festa da Páscoa se a encararmos no seu simbolismo. A Páscoa Judaica pode ser interpretada como a nossa libertação da ignorância, das mazelas humanas, para o conhecimento, o comportamento ético-moral. A travessia do Mar Vermelho representa as dificuldades para a transformação. A Páscoa Cristã, representa a vitória da vida sobre a morte, do sacrifício pela verdade e pelo amor. Jesus de Nazaré demonstrou que pode-se Executar homens, mas não se consegue matar as grandes idéias renovadoras, os grandes exemplos de amor ao próximo e de valorização da vida.
Como a Páscoa Cristã representa a vitória da vida sobre a morte, queremos deixar firmado o conceito que aprendemos no Espiritismo, que a vida só pode ser definida pelo amor, e o amor pela vida. Foi por isso que Jesus de Nazaré afirmou que veio ao mundo para que tivéssemos vida em abundância, isto é, plena de amor.


Amílcar Del Chiaro Filho. Jornal Espírita, nº 292. Março 2008
Nota: este artigo foi publicado na íntegra pela Revista Católica MISSÕES - da Ordem Consolata

01/04/2009


Seminário com Divaldo Franco "Viver e deixar viver"
Onde: Landesmuseum - Mannheim
Quando: 09.05.2009 / 10:00 às 17:00hs
FAK Mannheim e.V.