.

30/03/2010

A LÓGICA DO ESPIRITISMO ANTE O CASAMENTO E FAMÍLIA

 o_melhor_viver_familia

1- Qual seria, para a sociedade, o resultado do relaxamento dos laços de família?

– Um recrudescimento do egoísmo.

2- O casamento, quer dizer, a união permanente de dois seres, é contrário à lei natural?

– É um progresso na marcha da Humanidade.

3- Qual seria o efeito da abolição do casamento na sociedade humana?

– O retorno à vida animal.

4- Qual a função essencial do lar e da família?

Emmanuel – No caminho familiar, purificam-se impulsos e renovam-se decisões. Nele encontramos os estímulos ao trabalho e às tentações que nos comprovam as qualidades adquiridas, as alegrias que nos alentam e as dores que nos corrigem.

5- Todo laço de parentesco possui razão de ser?

Emmanuel – Ninguém possui sem razão esse ou aquele laço de parentesco, de vez que o acaso não existe nas obras da Criação.

André Luiz – Compreendamos que todas as afeições-problemas em nossa trilha de agora constituem débitos de existências passadas que nos compete ressarcir e que todas as facilidades que já nos enriquecem a estrada são instrumentos que o Senhor nos empresta, a fim de utilizarmos a vontade própria, na construção de mais ampla felicidade porvindoura e entendamos que a vida nos devolve aquilo que lhe damos.

6- Compreendendo-se que muitos casamentos resultam em uniões infelizes e, às vezes, até mesmo profundamente antipáticas, induzindo os cônjuges ao divórcio, como interpretar a fase de atração recíproca, repleta de esperança, que caracterizou o namoro e o noivado?

Emmanuel – Qualquer pessoa que aspire a um título elevado passa pela fase de encantamento. Esfalfa-se o professor pela ascensão à cátedra. Conseguido o certificado de competência, é imperioso entregar-se ao estudo incessante para atender às exigências do magistério. Esforça-se o acadêmico pela conquista do diploma que lhe autorize o exercício da profissão liberal.

Laureado pela distinção, sente-se compelido a trabalho infatigável, de modo a sustentar-se na respeitabilidade em que anela viver. Assim também o matrimônio.

7- Como interpretar as contrariedades e desgostos domésticos?

Emmanuel – O homem e a mulher aguardam o casamento, embalados na melodia do sonho, entretanto, atingida a convivência no lar, surgem às obrigações, decorrentes do pretérito, através do programa de serviço traçado para cada um de nós pela reencarnação, que nos compele a retomar, na intimidade, todos os nossos erros e desacertos. Fácil, dessa forma, reconhecer que todas as dificuldades domésticas são empeços, trazidos por nós próprios, das existências passadas.

8- Como, ante as relações humanas, entender os conflitos e crises no lar?

Emmanuel – Às vezes, depois dos votos de ternura e fidelidade, quando as promessas se encaminham para as realizações objetivas, os sócios de base da empresa familiar encontram obstáculos pela frente. Um deles terá adoecido e falta no outro a tolerância necessária. Surge a irritação e aparece o ressentimento. Em outras ocasiões, o trabalho se amplia em casa e um deles foge à cooperação. Surge o cansaço e aparece o desapreço. Hoje queixas. Adiante desatenções e lágrimas. Amanhã rixas. Adiante ainda amarguras e acusações recíprocas. Se um dos responsáveis não se dispõe a compreender a validade do sacrifício, aceitando-o por medida de salvação do instituto doméstico, eis a união enferma ameaçando ruptura.

9- O que pensar, nesse ponto, dos arrastamentos para outros relacionamentos?

Emmanuel – Nesse passo, costumam repontar do caminho laços e afinidades de existências do pretérito convidando esse ou aquele dos parceiros para uniões diferentes. E será indispensável muita abnegação para que os chefes da comunhão familiar não venham a desfazer, de todo, a união já enferma, partindo no rumo de novos ajustes afetivos.

10- Qual a conexão entre a consanguinidade e o destino?

Emmanuel – Nos elos da consanguinidade, reavemos o convívio de todos aqueles que se nos associaram ao destino, pelos vínculos do bem ou do mal, através das portas benditas da reencarnação.

11- De modo geral, quem é, nas leis do destino, o marido faltoso?

Emmanuel – Marido faltoso é aquele mesmo homem que, um dia, inclinamos à crueldade e à mentira...O marido ingrato e desleal, em muitas circunstâncias, é o mesmo esposo do pretérito, que precipitamos na deserção, com os próprios exemplos menos felizes.

12- E a esposa desequilibrada?

Emmanuel – Esposa desequilibrada é aquela mulher que, certa feita, relegamos à necessidade e a viciação... A companheira desorientada, que nos amarga o sentimento, é a mulher que menosprezamos, em outra época, obrigando-a a resvalar no poço da loucura.

13- O que foram, em vidas anteriores, os pais despóticos?

Emmanuel – Quase sempre, os pais despóticos de hoje são aqueles filhos do passado, em cuja mente inoculamos o egoísmo e a intolerância.

14- E o filho rebelde?

Emmanuel – O filho rebelde e vicioso é o irmão que arrojamos, um dia, à intemperança e à delinquência. Filhos problemas são aqueles mesmos espíritos que prejudicamos, desfigurando-lhes o caráter e envenenando-lhes os sentimentos.

15- E a filha desatinada?

Emmanuel – A filha detida nos desregramentos do coração é a jovem que, noutro tempo, induzimos ao desequilíbrio e à crueldade.

16- E os parentes abnegados?

Emmanuel – Os parentes abnegados, em que nos escoramos, são os amigos de outras eras, com os quais já construímos os sólidos alicerces da amizade e do entendimento, propiciando-nos o reconforto da segurança recíproca.

17- Como influi o nosso passado no clima familiar e na atividade profissional?

Emmanuel – Cada elo de simpatia ou cada sombra de desafeto, que surpreendemos na família ou na atividade profissional, são forças do passado a nos pedirem mais amplas afirmações de trabalho na vitória do bem.

18- A indissolubilidade absoluta do casamento está na lei natural ou somente na lei humana?

Emmanuel – É uma lei humana muito contrária à lei natural. Mas os homens podem mudar suas leis: só as da Natureza são imutáveis.

19- Existem casos francamente insolvíveis nos casamentos desventurados; não será o divórcio o mal menor para evitar maiores males?

Emmanuel – Muitos dizem que o divórcio é válvula de escape para evitar o crime e não ousamos contestar. Casos nos surgem quais ele funciona, por medida lamentável, afastando males maiores, qual amputação que evita a morte, mas será sempre quitação adiada, à maneira de reforma no débito contraído.

20- O que devemos fazer se a presença de alguém nos é penosa?

Emmanuel – Se a presença de alguém nos é penosa ou difícil ao coração, anulemos os impulsos negativos que nos surjam na alma e convertamos as nossas relações com esse alguém numa sementeira constante de paz e luz.

21- Que precisamos para vencer na luta doméstica?

Emmanuel – Devemos revestir-nos de paciência, amor, compreensão, bom ânimo e humildade, a fim de aprender e vencer, na luta doméstica. No mundo, o lar é a primeira escola da reabilitação e do reajuste.

22- Quais são as piores consequências das ligações carnais desditosas, além daquelas que se apresentam nos sofrimentos das frustrações ou lesões emotivas?

Emmanuel – É forçoso observar que da afeição sexual descontrolada surgem muitas calamidades para a vida do espírito, dentre as quais destacaremos, a par da fascinação ou do ódio, nos problemas da obsessão, o suicídio e o aborto, como sendo as mais lastimáveis.

23- Qual a direção pessoal que devemos adotar para vencer os dissabores do lar infeliz?

Emmanuel – Evitemos o divórcio, tanto quanto possível, e combatamos o aborto e o suicídio com todos os recursos de raciocínio e esclarecimento de que possamos dispor. O divórcio adia o resgate. O aborto complica o destino. O suicídio agrava todos os sofrimentos.

André Luiz – Valorizemos o tempo, para que o tempo nos valorize e permaneçamos em equilíbrio sem afetar aquilo que não somos, em matéria de elevação, conquanto reconhecendo a necessidade de aperfeiçoar-nos sempre. Se erramos, estejamos decididos à corrigenda, agindo com sinceridade e trabalhando fielmente para isso.

24- Por mais ríspidas se façam as lutas, no casamento, é melhor permanecer dentro delas?

Emmanuel- pagar, é libertar-se, aprender é assimilar a licao.

Obras consultadas: Livro dos Espiritos; Leis do Amor- Francisco C. Xavier e Waldo Vieira; Coragem-Francisco C. Xavier; Caminhos da Volta-Francisco C. Xavier.  Informacao Revista Espírita Mensal.

 

13 comentários:

  1. 20- O que devemos fazer se a presença de alguém nos é penosa?

    Emmanuel – Se a presença de alguém nos é penosa ou difícil ao coração, anulemos os impulsos negativos que nos surjam na alma e convertamos as nossas relações com esse alguém numa sementeira constante de paz e luz.

    Na minha casa tem uma pessoa assim, não consigo mudá-la é de uma maldade tão gde que chega a me amedrontar, a presença da mesma me faz mal.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  2. Dentro da nossa família, minha querida estao os nossos maiores compromissos; pessoas com quem temos que nos reajustar e, como até o diálogo muitas vezes é dificil, nao há melhor medicamento que a oracao; paciência; tolerância e indulgência. Entendo perfeitamente este problema, pois comigo nao é diferente, com o que acontece em quase todas as famílias.
    Desejo a você muita paz e que Jesus te ilumine.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Amiga, nada é desperdiçado nesta vida...tudo tem uma razão para ser...e cabe a nós, vestindo diferentes "papéis", trabalharmos em prol de corrigir os desajustes que nós mesmos criamos. E enfrentemos tudo o que seja aparentemente doloroso e o que for bom também, pois tudo nos leva ao crescimento.
    Paz no seu coração...
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Páscoa significa renascimento, renascer.
    Desejo que neste dia, em que nós cristãos,
    comemoramos o seu renascimento para a vida eterna,
    possamos renascer também em nossos corações.
    Que neste momento tão especial de reflexão
    possamos lembrar daqueles que estão aflitos e sem esperanças.
    Possamos fazer uma prece por aqueles que já não o fazem mais,
    porque perderam a fé em um novo recomeçar,
    pois esqueceram que a vida é um eterno ressurgir.
    Não nos deixe esquecer
    que mesmo nos momentos mais difíceis do nosso caminho,
    tú estás conosco em nossos corações,
    porque mesmo que já tenhamos esquecido de ti,
    você jamais o faz.
    Pois, padeceste o martírio da cruz em nome do Pai
    e pela humanidade,
    que muitas e muitas vezes esquece disso.
    Esquecem de ti e do teu sacrificio
    Quando agridem seu irmão,
    Quando ignoram aqueles que passam fome,
    Quando ignoram os que sofrem a dor da perda e da separação,
    Quando usam a força do poder para dominar e maltratar o próximo,
    Quando não lembram que uma palavra de carinho, um sorriso,
    um afago, um gesto podem fazer o mundo melhor.
    Jesus...
    Conceda-me a graça de ser menos egoísta,
    e mais solidário para com aqueles que precisam.
    Que jamais esqueça de ti e de que sempre estarás comigo
    não importa quão difícil seja meu caminhar.
    Obrigado Senhor,
    Pelo muito que tenho e pelo pouco que possa vir a ter.
    Por minha vida e por minha alma imortal.
    Obrigado Senhor!


    (texto da net).

    FELIZ PÁSCOA MARIA.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia.
    Feliz Páscoa!

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. Obrigada pelo seu desejo de paz!
    O que devemos fazer se a presença do cônjugue nos é penosa, temos o divórcio por opção, além de estar apaixonada por alguém (fora do casamento)?

    ResponderExcluir
  7. Querida "Pelos Caminhos da Vida", você mesma perguntou e vc mesma respondeu. Nao conseguimos mudar ninguém, mas sim possivelmente ajudá-lo com os nossos exemplos.A oracao é sempre um excelente remédio.
    Um grande beijo e muita luz!

    ResponderExcluir
  8. Obrigada Valéria pela sua visita e precioso comentário!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Amapola grata pelo seu comentário!

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Amiga Estrela,
    ..Na verdade, há casos em que o mal maior seria as pessoas permanecerem vinculadas a um compromisso que não desejam mais e, por isso, perderem a alegria de viver e a possibilidade de realizações espirituais significativas para sua própria evolução. Somente aquele que está vivendo o problema poderá decidir, consultando sua própria consciência, qual o melhor caminho a seguir.

    “O conselho dos Espíritos é sempre no sentido de desenvolver as qualidades da alma para possibilitar um ajustamento harmonioso entre os componentes do grupo familiar e, quando se instala o conflito, a recomendação é de que se procurem todos meios de resolução do problema antes de optar pela separação.
    “Conflitos Conjugais” - publicação FEEES/2003)

    ResponderExcluir
  12. tenho um casamento de 8 anos onde passei por varias aprovações ja fui espancada mas mesmo assim continuo casada graças a Deus pararam as violencias mas a lingua de meu esposo corta como navalha e fere no fundo da alma estou meia perdida pois não consigo ter raiva nem rancor e nem dixar de ama-lo e as vezes minha consiencia me diz q eu não preciso ouvir ou aguentar o q aguento bpor ajudar tando ele cobrando as vezes só um pouquinho de respeito gostaria q me ajudassem vai ser muito importante pra mim a opinião de vcs fiquem com Deus e um grande abraço

    ResponderExcluir
  13. Como agir, quando não se tem brigas nem rancores, mas um dos parceiros não se sente mais feliz no casamento?

    ResponderExcluir

Amigos, irmaos,
é com maior carinho e amor que recebo seu comentário, sua contribuicao; entretanto - NAO serao publicados comentários de anônimos, pois este espaco aqui é para interargir, trocar, acrescentar; peco - nao perca tempo, caso vc nao queira se identificar.
Desejo de coracao a você que visita este espaco tenha muita paz, luz e consciência evolutiva. Obrigada pela sua visita e seu comentário!